Teoria da Perspectiva e a aversão à perda nas apostas esportivas

Escrito por Vitor Nogueira

Teoria da Perspectiva e a aversão à perda nas apostas esportivas

Recentemente, li o livro Rápido e Devagar, de Daniel Kahneman, o qual recomendo a leitura, onde ele apresenta brevemente uma das principais teorias sobre economia comportamental: a Teoria da Perspectiva, que foi desenvolvida pelo próprio e Amos Tversky em um artigo de 1979, trabalho que gerou o prêmio Nobel de Economia ao autor em 2002.

Como já há relações desta teoria com o mercado financeiro, resolvi trazer um conteúdo que se adapte também às apostas e ao trading esportivo.

Comentando com um colega pelo aplicativo Discord, ele contou que um técnico havia citado o tema “aversão à perda” em uma coletiva, e achei interessante o treinador estar falando sobre o assunto. Isso me deu o “estalo” de vir aqui compartilhar esse texto com vocês.

Afinal o que é a Teoria da Perspectiva ou Teoria do Prospecto?

Nos diversos estudos sobre psicologia cognitiva e economia comportamental, Kahneman e Amos desenvolveram suas teses em uma crítica à Teoria da Utilidade Esperada.  A Teoria da Perspectiva descreve, de certa forma, como as pessoas agem em escolhas que envolvem incertezas e riscos. Também demonstra como reagimos a situações de perdas e ganhos, que, muitas vezes, são reações irracionais. Busca-se compreender o comportamento de indivíduos na tomada de decisões.

Vamos, então, exemplificar a Teoria do Prospecto para que possam ter uma noção. Temos alguns elementos centrais que nos ajudarão a compreendê-la, quais sejam:

  • Efeito Reflexo: num aspecto geral, as pessoas são avessas ao risco para ganhos, mas propensas ao risco para as perdas, sendo o segundo fator mais pronunciado. Ou seja, estamos menos propensos a arriscar em situação de lucro e mais propensos a arriscar quando em prejuízo. Quem nunca fez aquela entrada tentando salvar um dia ruim? Ou, então, deixou de dar um back em algum time por medo de devolver o lucro do dia?;
  • Sensibilidade Decrescente: pessoas atribuem pesos não lineares a ganhos e perdas potenciais. Isso está ligado diretamente ao nosso ponto de referência, nos mostrando como conferimos diferentes pesos aos ganhos/perdas, dependendo de onde partimos. Eis um exemplo: a diferença subjetiva entre $900,00 a $1000,00 é muito menor que a diferença entre $100,00 e $200,00. Os valores são os mesmos, porém, a sensibilidade de ganhar esses valores, dependendo de quanto se tem, são diferentes.
  • Efeito Certeza: geralmente, resultados certos são excessivamente ponderados em comparação com resultados incertos, ainda que, em questões de utilidade, o resultado incerto nos fornecesse mais benefícios, nos agarramos à certeza de algo;
  • A Função Utilidade: que normalmente é côncava para ganhos, convexa para perdas e mais íngreme para perdas do que ganhos. O que explica sentirmos mais a perda de RS 500,00 do que um ganho de R$500,00 em algum Back ou Lay no dia a dia;
  • Ponto de Referência ou “status quo“: pessoas fazem escolhas sobre ganhos e perdas a partir de um ponto de referência. Seria como o nosso “resultado esperado”. Assim, valores abaixo ou acima dele diferimos como ganhos e perdas.

Aversão à perda

Para a maioria das pessoas, o medo de perder é mais intenso do que a esperança de ganhar. Os autores concluem, então, que as pessoas em geral são avessas à perda. E, normalmente, esta aversão pode ser medida, ficando em uma média entre 1,5 e 2,5.

É possível calcular tal problema através de certos questionamentos como: qual é o menor ganho de que necessito para equilibrar uma chance igual de perder cem dólares? Para muitas pessoas, a resposta é cerca de duzentos dólares, isto é, o dobro da perda.

Aqui vemos um gráfico com a Percepção de Valor (ou Função de Utilidade), que nos faz entender mais um pouco sobre o nosso comportamento. Nele é demonstrado justamente alguns dos pontos da Teoria da Perspectiva como: a própria Aversão à Perda (na área das perdas, que é maior, demonstrando que sentimos mais do que quando ganhamos) e o Efeito Reflexo (que expressa nosso conservadorismo em escolhas entre ganhos e propensão ao risco nas escolhas entre perdas).

teoria-da-perspectiva

Como isso pode afetar o nosso trading

Tanto a aversão à perda no Trading Esportivo, como os demais elementos da Teoria da Perspectiva, podem ser fatais para o seu sucesso dentro do mercado. Diariamente, ocorrem ocasiões em que, tanto eu quanto meus colegas deixamos de lucrar em alguma posição pelo medo de perder ou de arriscar.

É algo que devemos trabalhar dia após dia para evoluirmos nesse quesito, pois grandes traders e tomadores de decisões devem ser mais tolerantes quando o assunto é perda. Devemos nos acostumar com tais possibilidades de forma que não respondamos emocionalmente a esses riscos.

É necessário, primeiramente, reconhecer nossas reações quando as situações não são favoráveis, e entender quando estas emoções ocorrem no nosso trade, para, assim, criarmos mecanismos (gatilhos) e superarmos estas situações.

Deixo aqui um vídeo que pode ser útil e complementar esse assunto:

Coletiva de Abel Ferreira e um belo exemplo de aversão à perda dentro das 4 linhas

Abel Ferreira, atual técnico do Palmeiras, comenta sobre a aversão à perda a partir da pergunta do repórter no minuto 6:46. Ele nos mostra um belo exemplo citando o jogo de volta contra o River Plate em que perder uma vantagem (de 3 gols para somente 1), de certa forma, afetou o time palmeirense e sua estratégia durante a partida. A equipe perdeu por completo o padrão e a racionalidade de jogar, mesmo em momentos em que tinha a vantagem de um jogador a mais em campo.

Por fim, tomaram 2 gols de forma rápida, ainda no primeiro tempo, e isso fez com que os atletas se preocupassem demais com uma possível não classificação em uma situação que já era dada como praticamente certa.


Espero que tenham curtido esse conteúdo. Se quiserem trocar alguma ideia sobre o artigo em questão ou sobre Trade podem me chamar no Instagram @nogueira.vitorr. Leiam os outros textos também, tamo junto!

Loved this? Spread the word


Vitor Nogueira

Sobre autor

Me chamo Vitor Nogueira, sou gaúcho de Porto Alegre, torcedor do Internacional e trader full time apesar de ainda não viver disto. Conheci as apostas esportivas há cerca de dois anos e há um ano e meio venho me dedicando ao Trading Esportivo, estudando os mercados da Betfair e validando meus métodos. Espero através do blog compartilhar um pouco das minhas experiências operando e contribuir com a comunidade.

Postagens relacionadas

Trade Nosso de Cada Dia – 27 e 28 Fev

Ver mais

Trade Nosso de Cada Dia – 25 e 26 Fev

Ver mais

Diário de Trading #009

Ver mais

Trade Nosso de Cada Dia – 23 e 24 Fev

Ver mais

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}

Se inscreva na newsletter do Dia de Trading

Recebas as atualizações dos principais conteúdo do blog, de acordo com as duas preferências de leitura. Preencha o formulário abaixo: