Pressão psicológica no trading esportivo

Escrito por Jean Souza

Pressão psicológica no trading esportivo

E aí galera, blz? Hoje vou falar um pouco sobre pressão psicológica no trading esportivo. Mas antes de começar a dividir minha jornada com vocês, gostaria de agradecer ao Clube da Aposta pela oportunidade de compartilhar minhas experiências como trader aqui no blog do Dia de trading e também no canal do YouTube. Espero que este conteúdo, de alguma forma, ajude quem está na caminhada pela busca do profissionalismo e consistência no mercado. Essa troca de conhecimentos vai ser um grande passo em meu planejamento para viver do trading esportivo.

Inicio partilhando uma experiência neste mês de outubro. Após um ajuste de stake, uma das minhas estratégias mais lucrativas me deu um grande susto.

Lay ao não favorito (1° tempo)

Trabalho lay ao não favorito na faixa de odds de @4.00 a @6.00 com até 100% da minha Stake principal. Os critérios de entrada que utilizo para essa estratégia são bem simples. A equipe favorita precisa ter a posse de bola e controle do jogo, e equipe não favorita precisa estar com o bloco baixo, sem marcação pressão. Fecho minha posição em bolas paradas e quando perder o padrão que me fez entrar no mercado.

Ajuste de stake (setembro 2020)

No início do mês de setembro realizei um aporte na minha banca e ajustei minha stake principal para $100 doletas, ou seja, um aumento de quase 70% sobre a minha stake antiga (agressivo, né?). Até este momento estava tudo sob controle, por que essa é uma stake que eu já havia testado no mercado há um tempo e me planejei para voltar a trabalhar com ela.

PS: não aconselho aumentos agressivos de stake, isso é algo particular de cada trader, busque entender o seu perfil e trabalhe com a gestão que se sentir mais confortável.

Após realizar o meu ajuste de stake, estava decidido a explorar um pouco mais da minha estratégia principal lay ao não favorito. É importante lembrar que essa é uma estratégia validada e que me dá bons lucros, então, no mês de outubro ajustei minha stake do lay ao não favorito para 150% da minha stake principal, ou seja, 150$ dólares. No papel estava tudo lindo, mas no momento em que comecei a operar com a nova stake, baah! Tive muita dificuldade de clicar.

Os primeiros cliques com stake $150 dólares

Nos primeiros cliques o mercado “já sabia” do meu aumento de stake e estava disposto a me testar e ver se eu estava realmente preparado. A cada clique que eu dava o jogo virava e logo em seguida eu passava um calor danado, por que diante das situações de jogo me via obrigado a fechar minha posição imediatamente. Então, comecei a entrar fracionado, entrava com $100 e assim que confirmasse o padrão colocava mais $50.

Parecia estar indo tudo bem, mas adivinha o que aconteceu?

Dia 04/10/20 – Leicester X West Ham

Acordar cedo no domingão e tomar um RED de 39,65% da stake não é nada fácil. Logo cedo enxerguei uma oportunidade em trabalhar lay West Ham a uma odd 4.7 com 100% da minha Stake. Após confirmar minha leitura para estar Lay ao Não Favorito, não tive dúvidas e completei com mais 50% da stake, mas poucos minutos depois da minha entrada a “cacetada” chegou… West Ham abre o placar e leva quase 40% da minha stake. Este é um gol necessário que você precisa tomar para testar se o seu emocional está em dia.

Pressão psicológica no trading esportivo
Data 04/10/10 – Leicester X West Ham (0-3)

Decisão após tomar o primeiro RED com 150% da stake

No momento que decidi aumentar minha stake da estratégia lay ao não favorito já sabia do risco que estava correndo, então decidi continuar trabalhando normalmente com o pensamento que aos poucos iria me adaptar a essa nova stake.

No dia 7/10/20 consegui finalmente pegar meu primeiro gol em lay ao não favorito, mas adivinha? Por insegurança estava lá com apenas 100% da stake no mercado. Esse gol acabou pagando 13% sobre a minha stake. Não estou reclamando do green, até por que aumentei o percentual para pegar os gols com uma stake e meia, não é mesmo?

Aos poucos fui percebendo que não estava confortável no mercado com a nova gestão. Então, foi no jogo entre Sport X Internacional que tomei uma decisão muito importante para continuar sendo lucrativo em uma das minhas principais estratégias.

Dia 14/10/20 – Sport X Internacional

Neste jogo não foi diferente, em busca do meu primeiro gol, com 150% da stake, me deparei novamente com uma situação psicologicamente complicada. A cada entrada com 150% da stake a sensação era a mesma, parecia que estava mais perto de tomar o próximo gol do que pegar a favor da minha posição, então decidi novamente entrar com apenas 100% da stake. Adivinha o que aconteceu? Sim… poucos minutos depois de clicar, gol do Inter, e que golaço do Patrick! GREEN de 10,06% sobre a stake principal. Foi nesse dia que percebi que o mercado já sabia que eu não iria aguentar.

Data 14/10/10 – Sport X Internacional (3-5)

Ponto negativo

Identifiquei um ponto negativo que me fez voltar a trabalhar com 100% da minha stake em lay ao não favorito.

  • Minha gestão para os métodos de alavancagens e overs é de apenas 5% da minha stake principal. A cada entrada feita com 150% da minha stake uma pequena variação contra minha posição, em poucos segundos me deixava com um pequeno red, que representa minha moeda de alavancagem, essa variação me deixava desconfortável no mercado.

Conclusão:

Sei que a experiência que passei está ligada diretamente ao meu emocional, é necessário aprender a lidar diariamente com está pressão psicológica no trading esportivo, eu poderia dar tempo ao tempo até me acostumar com a nova stake, mas não estou aqui para forçar minha evolução no mercado, meu trading precisa ser feito de operações tranquilas e de dias tranquilos, sempre que sentir desconforto nas minhas operações, não tenho problema algum em dar dois passos para trás e reconhecer que meu emocional não está preparado.

Cuide do teu emocional, pois é ele que vai definir se você vai ter uma vida longa no trading 😉

Gostaria de indicar uma sugestão de conteúdo que vai te ajudar muito a lidar com a pressão psicológica no trading esportivo, o Gabigol gravou um Boteco do Clubão com a Jéssica Modesto (Psicóloga do trader), foi um bate papo de muito valor que pode te ajudar nessa caminhada.

Loved this? Spread the word


Jean Souza

Sobre autor

Me chamo Jean, tenho 27 anos e atualmente moro em Chapecó SC, sou desenhista, projetista e colorado, sou movido por novos desafios e aficionado por tecnologia. Conheci as apostas esportivas em 2016 e por muito tempo fui um apostador recreativo, em 2019 tive a oportunidade de me dedicar full time ao trading, foram oito meses de muita dedicação e aprendizado, hoje com uma renda fixa eu consigo tirar qualquer pressão financeira do meu trading. Meu objetivo aqui no DDT é compartilhar minhas experiências e o meu planejamento para viver do trading nos próximos anos. Espero que esse diário sirva de inspiração e nos ajude nessa caminhada. "stay hungry, stay foolish"

Postagens relacionadas

Um mercado pouco explorado: Handicap Europeu

Ver mais

Melhorando dia após dia – Desafio Cavalos Pré-Live

Ver mais

Desafio de 1k aos 10k – 5 jogos nas competições europeias

Ver mais

Bons resultados no dia 31 e 32 – Desafio Cavalos Pré-Live

Ver mais

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked

  1. Ótimo artigo Jeanzinho! É muito importante reconhecer quando damos um passo maior que o necessário e ter humildade para dar um passo atrás, isso faz parte da caminhada.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}

Se inscreva na newsletter do Dia de Trading

Recebas as atualizações dos principais conteúdo do blog, de acordo com as duas preferências de leitura. Preencha o formulário abaixo: