O que fazer quando tudo dá errado? • Dia de Trading

O que fazer quando tudo dá errado?

As festas de final de ano chegaram, e junto com elas resolvi fazer uma pequena pausa nos meus trades. Foram quase 20 dias parado sem fazer absolutamente nada. Evitei olhar a Betfair nem que fosse pelo celular, quase não acompanhei os jogos dos campeonatos que costumo trabalhar, e até dei um tempo nos grupos de Whatsapp que participo com a galera que trabalho junto no Team Speak. Relaxar é muito bom e importante.

Voltei ao batente dia 07 de janeiro, e adivinha? Lento, devagar, quase parando. Com uma baita dificuldade de retomar a velocidade em lances decisivos, diminuição na capacidade de raciocínio rápido e tomando 2 gols contra a minha posição. Como já sabem o mercado não perdoa falhas.

Terminei a primeira semana de trabalho com -66,0% de red sobre minha stake; diga-se de passagem isso é um percentual relativamente alto dentro do meu estilo de atuação, já que costumo fechar o mês com algo em torno de 100,0% à 150,0% de lucro da unidade padrão.

Nesse cenário a nossa mente é bombardeada com alertas falsos sobre uma insatisfação com nosso prejuízo. Pensamentos do tipo: “você ficou muito tempo parado, e quando voltou perdeu muito dinheiro”, “vou ser mais agressivo para recuperar rápido”, “tem dinheiro fácil naquele jogo, vou aumentar a exposição” e etc.

É nesse exato momento que vamos testar nossa capacidade de se manter sóbrios, e entender que consistência não é um lugar que devemos chegar (tamanho de banca) e sim um estado mental adequado que desenvolvemos ao longo do tempo. Disciplina e gestão são essenciais.

E o que aconteceu na semana posterior?

Voltei ao mercado como se nada tivesse ocorrido. Absolutamente nada de anormal, sem pânico, nada de sair dando back em qualquer jogo de quarta divisão indiana.

Continuei trabalhando nas mesmas situações de valor dentro da minha maneira de trabalhar o mercado, que basicamente consiste em estar a favor da melhor equipe em campo sempre fazendo uma gestão de risco versus retorno.

Não alterei minha gestão drasticamente, não fiz campeonatos dos quais não conheço as equipes, nem sequer corri desesperadamente atrás de recuperar o que se foi na primeira semana. Os bons resultados vieram de forma natural, trabalhando em times e ligas que conheço e seguindo minha forma de atuação dentro de um método específico.

Depois de mais alguns mercados, já havia deixado para trás aquele prejuízo da primeira semana e entrado em lucro novamente. Aqui mora o segredo da consistência; que é o entendimento que ser lucrativo é ter a resiliência de aceitar que o resultado final positivo é simplesmente a somatória de greens e reds, e não somente uma jornada inteira de lucros constantes.

Mark Douglas disse: “Quando aceitamos completamente as realidades psicológicas do mercado, aceitamos correspondentemente os riscos do trading. Quando aceitamos os riscos do trading, eliminamos o potencial para considerar os sinais de mercado como negativos e, consequentemente, deixamos de ter de proteger nossa mente. Quando não há nada de que nos protegermos, acedemos à plenitude do que sabemos sobre a natureza dos mercados”.

Faltando alguns dias para o fim do mês espero terminar no verde, no entanto esse ciclo de dispersão dentro da nossa caminhada é algo corriqueiro. É aqui que separamos os vencedores dos perdedores.

O que fazer quando tudo dá errado?

Absolutamente nada, apenas seja paciente.

Foco, concentração, e back neles. Vamos aos greens!

 

(Abaixo deixo um gráfico/planilha demonstrativos do que aqui foi relatado)

Semana 1

Semana 1: Na primeira semana, reparem que dois gols tomados me levaram boa parte da stake. Não houve um justo equilíbrio entre ganhos e perdas.

Semana 2

Semana 2: Agora sim, uma jornada mais limpa e consistente. Com perdas pequenas e lucros maiores.

Veja o dia a dia do Trader Profissional
de graça!

Se inscreva gratuitamente e receba em primeira mão todos os artigos do Dia de Trading e as principais novidades do blog no seu email

Sobre Paulo Sales

Me chamo Paulo Sales, 28 anos, palmeirense e caipira do interior paulista. Conheci o contexto do trading em 2016 e minhas primeiras experiências foram no mercado de gols, fazendo scalping no Under Limite. Porém sempre tive vontade de trabalhar no mercado Match Odds, e assim abruptamente fiz uma transição no começo de 2017 e tento me especializar cada vez mais. Somos eternos aprendizes e assim espero contribuir com o crescimento dos leitores.

6 comentários

  1. Vinicius Bretz

    Excelente Post, meu velho!

    Parabéns…

  2. Conteúdo sensacional Paulão. Parabéns.

  3. Top, bom artigo Paulo. Tmj.
    Parabéns!

  4. Antonio tavares

    Muito bom Paulo parabéns , compartilhar conhecimento só nos faz crescer ! Valeuuuu

  5. Luan Azevedo

    Muito bom post Paulo.

    Nosso emocional é essencial para esse modelo de profissão.

    Abraço e continue postanto conteúdos de valor.

    tmj.

  6. Muito fera Paulo, parabéns meu garoto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja o dia a dia do Trader Profissional
de graça!

Se inscreva gratuitamente e receba em primeira mão todos os artigos do Dia de Trading e as principais novidades do blog no seu email