EMOÇÃO x RAZÃO: Como trabalhei contra meu time do coração

Escrito por Alexandre Frazão

EMOÇÃO x RAZÃO: Como trabalhei contra meu time do coração

No post de hoje, compartilho com vocês minha experiência ao trabalhar em um jogo muito especial, jogo este que definiria o futuro de um dos maiores clubes brasileiro e a tendência era de um jogo que nos proporcionasse excelentes oportunidades para à pratica do trading, e assim foi.

Mas o que há de especial em um jogo decisivo? O simples fato de se dispor para trabalhar no jogo do seu time do coração. Ao tomar essa decisão você automaticamente liga o sinal de alerta em seu cérebro que irá trabalhar forte para lidar com o mix de sentimentos, ele terá o grande desafio de lhe indicar o caminho da razão enquanto sua emoção tentará dominá-lo durante toda a partida.

O jogo, River Plate vs São Paulo, realizado em 30/09/2020 válido pela 5ª rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América. O River ganhou pelo placar de 2 a 1 e eliminou o São Paulo, que é tricampeão da competição e mais uma vez caiu de forma precoce.

Agora que você já se familiarizou com todo o contexto do jogo, vamos falar do trabalho realizado, da minha experiência em trabalhar contra o meu time do coração (São Paulo).

SOBRE O JOGO

Não irei me ater com muitos detalhes da partida, mas de forma objetiva, o primeiro jogo terminou empatado em 2×2 sendo que os dois gols registrados para o São Paulo, foram marcados pelo River, isso mesmo, foram dois gols contra e dois a favor.

Considerando toda a atmosfera de pressão no entorno do tricolor paulista em virtude do risco iminente de eliminação em caso de derrota e do seu histórico irregular, o mercado já se posicionou totalmente a favor do River Plate, com odds iniciais de @1.62 contra @5.80 do time paulista.

A emoção de um torcedor faria com que você pensasse algo mais ou menos assim: “tenho que  ‘aproveitar’ essa odd ‘de valor’ a favor do seu time do coração, afinal, toda essa necessidade de vencer e com um preço desse, não posso deixar passar sem me posicionar”. Por pouco, eu caia nessa armadilha mental. 

Com a extrema necessidade de vitória, sabendo que seria eliminado da competição se pelo menos não empatasse a partida, jogando fora de casa contra um dos tradicionais times da competição e vice líder do grupo, certamente não seria um jogo favorável para os são paulinos. Aqui, diante deste cenário caótico, a emoção do torcedor já se manifesta pré game sabendo do difícil jogo que teríamos pela frente.

O MERCADO ACERTOU

Após a compilação de diversos fatores envolvendo as duas equipes, sobretudo o time visitante, o mercado não havia errado nas odds, pelo contrário, estava mais do que certo.

Neste momento, influenciado pela razão pude identificar que o melhor cenário para o jogo seria exatamente no mercado de gols, mais especificamente +2.5 gols, afinal, o River, time argentino, não iria simplesmente deixar o seu adversário (time brasileiro), chegar em seu estádio e ditar o ritmo de jogo.

Decidi então, entrar no mercado antes mesmo do jogo começar, pois era de se imaginar que o mercado iria corrigir aquela odd, iria reduzir o preço, pois o contexto do confronto indicava uma alta tendência de gols. Entrei pré game no over 2.5 gols pagando @2.00.

A previsão não demorou para se confirmar, o primeiro gol do River Plate foi marcado aos 11’ de jogo após algumas tentativas frustradas e sem reação do São Paulo.

EMOCIONAL ABALADO

Um gol tão precoce fez com que não somente o time do São Paulo se abalasse, mas eu também, afinal, na atual conjuntura a virada do tricolor era algo muito, muito incomum, meu time estava naquele momento sendo eliminado mais uma vez. A emoção agindo novamente.

A emoção negativa daquele resultado parcial de 1×0 gerou uma paralisação em minhas ações, não raciocinava mais, estava olhando jogo, mas sem prestar a atenção, sequer olhava mais para as odds. A emoção de um torcedor frustrado gerou vários flashs de memórias da época em que o meu time do coração era competitivo e brigava por títulos.

Foram cerca de 15 minutos de mente bugada, até que o despertar veio após o gol de empate do São Paulo aos 26 minutos da etapa inicial. Acordei, voltei pra realidade e voltei pro mercado!

A RAZÃO EM AÇÃO

Por mais que a emoção naquele momento me impulsionava a acreditar no “agora vai virar”, a razão foi predominante e me fez enxergar o cenário do jogo e não os times que estavam jogando, ou seja, sem clubismo.

O River foi pra cima como se estivessem perdendo o jogo e precisassem da vitória (postura que o SP deveria ter desde o início, mas quando decidiu ter já era tarde demais). Decidi então me posicionar a favor do over limite HT com odd @2.30. Aos 36 minutos acontece o BOOM, gol do River, agora o placar estava 2×1 e eu com meu lucro no bolso.  Além da entrada do over HT, com o 3º gol marcado pelos argentinos, também bateu a entrada pré game (+2.5 gol) e pagou a odd @2.00.

O X DA QUESTÃO

Chegamos então no momento em que você se pergunta: “se ele teve dois bons greens nesse jogo, qual foi o problema”?

A resposta é simples: se não fosse o conflito entre emoção x razão, certamente o resultado poderia ter sido muito melhor, pois poderia teria seguido somente a razão. Se eu não tivesse sido influenciado pela emoção de torcedor, eu sequer cogitaria entrar a favor da vitória do São Paulo (claro que poderia ganhar o jogo, nada é impossível no futebol, mas tudo indicava para o lado do River e/ou outros mercados, por exemplo, o de gols) em razão do contexto geral das equipes.

Sem falar que, eu poderia ter pego o primeiro gol do River, já que havia padrão para Back (revendo o jogo – VT pude detectar isso, mas durante o jogo a emoção me impediu de enxergar), além disso, que sabe eu também poderia ter pego o gol de empate do São Paulo. A emoção me tirou pelo menos, mais um bom green que seria no 1º gol do jogo que era o cenário mais explícito dos exemplos eu acabei de citar.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Quando há emoção e razão ao mesmo tempo, a exposição ao risco é enorme, no meu caso ainda fui beneficiado e consegui sair deste jogo com saldo positivo, porém, poderia ter sido um desastre financeiro.

Agir na base da raiva, medo ou empolgação destrói sua chance de sucesso” – Alexander Elder

Embora a frase dita acima seja num aspecto mais amplo dos sentimentos, ouso afirmar que: “agir na base da emoção em confronto com a razão, também destruirá sua chance de sucesso no longo prazo”.

Tente evitar qualquer ligação emocional com algum mercado, a razão deve ser predominante.

Compartilha comigo se você já passou por uma experiência assim ou algo semelhante, além disso, use o espaço de comentários logo abaixo para deixar sua sugestão de temas e/ou conteúdos para as próximas publicações.

Loved this? Spread the word


Alexandre Frazão

Sobre autor

Sem talento para virar jogador, entrei no futebol pelo Trading Esportivo. Desde 2016, atuando na bolsa esportiva e disseminando conteúdos relacionados ao futebol e apostas esportivas para diversos fóruns e sites especializados nos temas, e agora, também visto com orgulho a camisa do Dia de Trading.

Postagens relacionadas

Diário do Submundo – Resumo de 3 dias de operações

Ver mais

Pressão psicológica no trading esportivo

Ver mais

Viver de Trade Esportivo é possível? 3 Etapas importantes

Ver mais

Diário do Submundo – Dia de teste emocional

Ver mais

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked

  1. Show de bola Frazão, belo texto! Operar em jogos do time do coração é um fato bem complicado, ainda mais se tratando de uma partida decisiva como essa. Bom que mesmo assim se saiu bem nas análises que conseguiu fazer do jogo. Tamo junto.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}

Se inscreva na newsletter do Dia de Trading

Recebas as atualizações dos principais conteúdo do blog, de acordo com as duas preferências de leitura. Preencha o formulário abaixo: